.

Se Eu Vivesse Tu Morrias

Miguel Castro Caldas

Este trabalho tem o carácter de um ensaio, de uma tentativa, de uma investigação; trata-se da exploração de um dos limites do teatro: o texto. O texto está disponível ao mesmo tempo que a sua representação; os espectadores poderão alternar entre a leitura e a visão do espectáculo. Interessa neste projecto esse intervalo particular, entre ver e ler.

Embora ler seja simultaneamente ver, a leitura representa uma espécie de cegueira – só se lê se não se virem as letras, as palavras, as frases, o texto; só se acede ao significado se se descartar a forma. Este projecto acontece precisamente nesse intervalo: entre ler e ver, entre o livro e o palco, na intermitência da atenção do espectador, entre o levantar e o baixar da cabeça, num movimento de gola. Dir-se-ia então, que este projecto serve para investigar a visibilidade do texto teatral, inclusive as didascálias – esse texto afónico que coreografa tudo o que se vê num palco.

 

Concepção Miguel Castro Caldas, Lígia Soares e Filipe Pinto Direcção e Texto Miguel Castro Caldas Cocriação, interpretação e figurinos Lígia Soares, Miguel Loureiro e Tiago Barbosa Cenografia, imagem, figurinos Filipe Pinto Cocriação, som, vídeo, luz Gonçalo Alegria Cocriação e assistência aos ensaios Catarina Salomé Marques Pré-produção Marta Raquel Fonseca Produção executiva Vânia Faria Gestão e Difusão [PI] Produções Independentes

Co-produção Fundação Caixa Geral de Depósitos – Culturgest e Fundação GDA
Apoio à produção Pólo Cultural das Gaivotas- CML, AND_Lab | Research on Art-Thinking & Togetherness | Máquina Agradável - Associação Cultural | Enseada Amena – Associação Cultural

Agradecimentos Ana Matoso, António Gouveia, Bruno Humberto, Fernanda Eugénio, Marta Rema, Miguel Cardoso, Susana Gonçalves

 

Trailer Português

Merces Tomaz Gomes

Trailer in english

Merces Tomaz Gomes

Vitorino Coragem

Vitorino Coragem