.

Assembleia

Rui Catalão

Assembleia realiza-se a partir de um Laboratório de trabalho aberto à comunidade onde o projecto será desenvolvido e o espectáculo será apresentado.
Nesse Laboratório serão abordadas as temáticas locais e será iniciada a preparação da “assembleia” com um grupo local.
Cada espetáculo terá uma ligação directa com o contexto local, com as suas histórias, com o seu património, criando um projecto único de cada vez que é feito num novo contexto.

O “casal de actores”, protagonista da peça, será encontrado e preparado no laboratório iniciado em cada novo local.
Os restantes participantes do Laboratório farão parte da “assembleia” e estarão integrados no público.

 

O ponto de partida é o seguinte:

Um casal de actores discute “o problema da habitação” e da “coabitação”.
Um dos elementos do casal defende que devem permanecer, e trabalharem juntos para criarem melhores condições. O segundo elemento do casal, opostamente, defende que devem mudar-se. Há quatro níveis potenciais de mudança: 1.de casa, 2.de bairro, 3. da cidade ou da população, 4. do país.
O resultado da discussão deve gerar três opções: ou ficam, ou mudam-se, ou separam-se e cada um toma a sua própria decisão.
A partir do momento em que chegam a um acordo, sobre os problemas que enfrentam, trata-se de identificar problemas que só podem ser resolvidos no contexto da comunidade, usando “ferramentas” políticas para solucionarem os problemas apontados.
Uma vez definidos esses problemas do domínio público, que dependem de uma abordagem e tomada de decisão colectiva, o casal convoca então a assembleia – o público na plateia!
O diálogo entre o casal e o público visa estabelecer um contrato: a comunidade, representada pela assembleia, aceita como válidos os problemas enunciados? Solidariza-se com eles? Está disposta a responsabilizar-se, assumindo que são uma causa comum? Como é que pretende fazê-lo? Quem faz o quê? Com que meios? Recorrendo a que tipo de ações? Quem se compromete? Quem se responsabiliza? Qual é a próxima etapa?

 

Autoria, formação e encenação: Rui Catalão
Articulação com comunidade: Paulo Lage, Vânia Cerqueira
Formador: Luis Leonardo Mucauro
Luzes: Cristovão Cunha
Produção: ORG.I.A
Coprodução: Teatro Maria Matos
Projecto financiado pelo Ministério da Cultura/Direção Geral das Artes

 

 

Dados do mapa ©2016 Google, Digital Globe

Catarina Goncalves